Como Treinar o Seu Dragão 2 (2014)

Poster

Em 2010, a Dreamworks lançou o primeiro “Como Treinar o Seu Dragão“, baseado no livro de mesmo nome e criado pela autora Cressida Cowell. Alterando bastante a história original, os diretores e roteiristas Dean DeBlois e Chris Sanders criaram um enredo muito mais próximo ao estilo da Pixar do que as paródias que víamos em Shrek ou Kung Fu Panda, e com isso se tornou um dos melhores filmes do estúdio, sendo um dos favoritos do público e crítica. Agora em 2014, DeBlois assumiu o roteiro e direção para criar a sequência.

Cinco anos após os acontecimentos do primeiro filme, o vilarejo de Berk – cujos habitantes eram inimigos dos dragões – agora sabe conviver com a antiga praga a ponto deles interferirem em sua cultura. Estóico, líder dos vikings do vilarejo, está cada vez mais orgulhoso de seu filho Soluço e já quer prepará-lo para assumir a liderança do lugar ao mesmo tempo em que o garoto quer apenas desbravar e mapear o novo mundo que consegue alcançar junto do seu dragão, Banguela.

DeBlois tem o seu primeiro acerto ao não tentar repetir a fórmula do filme original. Ele consegue expandir a mitologia do universo, além de incluir uma nova personagem durante o longa que amplia ainda mais os seus conhecimentos sobre os dragões e aquele mundo onde vivem, algo que já deixa aberturas para o terceiro longa da série.

Como Treinar 2

A evolução do Soluço e sua parceria com Banguela também é um ponto alto. A união dos dois e a dependência que um tem do outro é visível na tela: Separados, praticamente não são capazes de se locomoverem, mas juntos ninguém consegue imitá-los. Essa sincronia entre os dois inicia e termina o filme, seja pela “jogada ensaiada” dos protagonistas ou pelo papel que são obrigados a desempenhar no fim da história.

EstóicoOutro personagem de grande importância, apesar de coadjuvante, é Estóico. O grande líder é o responsável pelas duas cenas mais bonitas e impactantes do longa. Como não quero estragar a experiência, direi apenas que são sequências dirigidas com uma qualidade ímpar, que mostram dois dos acontecimentos mais importantes que podem ocorrer durante a vida de qualquer pessoa. Novamente palmas para o diretor e animadores pela coragem e sutileza.

Tecnicamente, o título também impressiona. O filme deu um salto gritante em relação ao seu predecessor, tanto pelas partes de ação quanto onde apenas apreciamos a paisagem. Novos dragões também são apresentados e mesmo com a quantidade enorme de monstros, em nenhum momento temos a sensação de que algum deles está se repetindo ou foi criado com menos inspiração. A única crítica fica pelo mau uso do 3D. Em entrevista, os criadores diziam que seria um aspecto bastante utilizando para aumentar a imersão, mas quase não é percebido durante o longa.

Como Treinar o Seu Dragão 2 é a confirmação que a Dreamworks pode mesmo bater de frente com a Pixar e a Disney em animações, principalmente se arriscar. Como Treinar o Seu Dragão 2 provavelmente será o ganhador do Oscar nesse quesito no ano que vem e o término da trilogia tem tudo para ser emocionante pelo caminho que está tomando. Resta apenas esperar 2016.

NOVE TIROS (2)9 tiros em 10

Anúncios